a cidade e as bicicletas

header_bicicletasecidades.jpg

Ler Artigo em: http://palavras-arquitectura.com/2006/11/07/a-cidade-e-as-bicicletas

Anúncios

5 Responses to “a cidade e as bicicletas”


  1. 1 LLopes Sexta-feira, Novembro 17, 2006 às 11:50 am

    Caro joão, de facto dou-lhe muita razão quanto ao comentário, mas após ter estado em algumas dessas cidades que comparou, também me apraz dizer que, todas, ou quase todas são de topografia suave – venho a pé para o meu local de trabalho, se viesse de bicicleta, o ultimo km seria um autêntico prémio de montanha – também o pavimento dessas cidades, as condições para deslocação em bicicleta que partiram de um politica de apoio ao uso da mesma, tornam-las cidades agradáveis para a deslocação em bicicleta. Quanto a Lx, por mim continuo no meu comboio/metro e o meu ultimo km a pé!

  2. 2 asimplemind Sexta-feira, Novembro 17, 2006 às 6:05 pm

    LLopes, obrigado por comentar, estas cidades que enunciei realmente não têm topografias acidentadas, mas o que queria realmente exemplificar é que o que por vezes indicia a uma mudança de mentalidades nem é tanto o facto de haver subidas e descidas ao longo das cidades, mas definitivamente de uma aposta política e educativa de forma a convencer as pessoas que é mais saudavel utilizar meios de deslocação ecológicos do que poluentes. Trata-se portanto de criar condições para tal. Ao nível das estradas, parques de bicicletas, rede de transportes públicos e, outro tipo de incentivos que podem ser aplicados em diversos casos.

  3. 3 Ana Domingo, Dezembro 10, 2006 às 2:24 pm

    Olá!

    Se voces se revoltam com a falta de ciclovis, apoio, legislação, etc, etc, aqui no Brasil é umpouco pior, há algumas ciclovias, mas estas em sua maioria acabam em precipicios, autoestradas, locais onde nõ deveriamacabar, os condutores nãso respeitam as bicicletas, ~quem as dirige não conhece a legislação e o pior…. não se podemdeixar em nenhum sitio, pois sempre são roubadas…..triste este facto, mas obrigam-nos a andar sempre a conduzir ou a andar a pé ou de auto carro, que muitas vezes são assaltados e queimados, basta ver os noticiarios, ainda esta semana a ministra do superior tribunal foi assaltada e sua comitiva teve o carro roubado….. (não acharam os assaltantes, embora tenham matado dois!!!! :(
    que dizer?

  4. 4 Helder Sábado, Janeiro 20, 2007 às 12:26 am

    Antes de mais queria dar-lhe as minhas felicitações pelo blog, bem escrito, bons grafismos, merece ter um lugar na minha blogroll, em http://engenium.wordpress.com/

    Agora falando de coisas sérias…

    Barreiras Arquitectónicas, têm tudo e nada a ver com isto mas foi a imagem que me veio à cabeça quando passei um olhar pelo texto.

    Há uns tempos foi aprovado o Decreto-Lei nº163/2006 sobre a eliminação de barreiras arquitectónicas (se não me engano), que normalmente, se as coisas funcionassem, deveria servir para alguma coisa (a ver vamos).

    Mas a verdade é que num país de tugas é tudo feito em cima do joelho ou numa mesa da taberna da esquina, quero com isto dizer que, na altura procurei conhecer um pouco melhor a questão das barreiras arquitectónicas e o modo de as atenuar, mas “NÃO HÁ NADA DE JEITO”, não há dados estatísticos nem informação organizada, nada!

    Não sei se foi a minha pesquisa que foi muito limitada, mas parece-me ser mesmo o facto do Google ainda não ter a capacidade de encontrar milagres! Pois no que diz respeito ao planeamento.. uiii… os tugas são uns senhores!!


  1. 1 A cidade e as pessoas at b a n a n a l o g i c Trackback em Sexta-feira, Dezembro 8, 2006 às 2:37 pm
Comments are currently closed.




%d bloggers like this: